terça-feira, julho 20, 2010

Talvez, se eu te denominasse com alguns nomes bonitos, para não te chamar só de: amigo.
Se eu inventasse que você é meu coração, ou que é parte do meu pulmão. Ou alguma coisa que não faça sentido, mas que faz muito sentido.
Se eu te chamar somente de felicidade, para não repetir: amigo.
E se eu quiser, que você seja minha rosa preferida. Meu motivo de vida, só para não te vulgarizar , assim e sempre: amigo.
Não ter vergonha quando rirem de nós, porque imitaremos Elvis, ou formaríamos uma dupla, talvez um trio, ou quem sabe um grande conjunto de: amigos.
E se eu quiser chamar atenção, te gritar no meio do filme, e você só sorrir, porque você é aquilo que eu digo: é amigo.
E se eu te contar minhas piadas sem graça, e você não rir. Porque afinal, já passou a fase de conquista. Hoje somos amigos, e você não precisa mais disso.
Quando eu descordar no que você diz, e você no fundo no fundo saber que eu tenho razão, ou pelo menos tenho, por eu pensar assim; você vai entender, afinal, somos amigos.
E antes eu pensava que amizade era estado de espírito, talvez também passageira.
Mas hoje, penso igual.
É estado de espírito, é estado de êxtase, é estado de alegria, é estado de tristeza, é estado de comunhão.
Eu sou triste quando meus amigos estão tristes. Mas sou mais feliz quando meus amigos estão felizes.
E quando você sumir, e me deixar saudades, eu vou sentir, porque compartilho com você meu estado de espírito.
Eu sou cada pedaço de vocês. Mesmo que cada um de vocês não imaginem isso. Mas não vou esconder muito, afinal, você não pode esquecer nunca, somos: amigos.




Um comentário:

Pelo amor ou pela dor .. ! * disse...

Que lindo. Pode haver várias definições, nomes e tudo mais. Mas amigo , sempre é amigo.
te acompanho sempre.