segunda-feira, julho 19, 2010

Menino, eu tive.



Eu sei que tinha. Eu tive você na palma das mãos. De tão pequeno, sumiu. Mas tive.


Vou pintar você com as cores do meu quarto. Na velha parede, para não me desfazer das imagens que ainda guardo. Teu rosto vai ser abstrato, antes que eu ainda morra de paixão. E vou te fazer rir, na parede do meu quarto.


E também vou poder te fazer chorar. E te desmanchar todas as vezes que eu quiser. Mas vou fazer você sorrindo. Que é pro meu sono vir mais cedo.


Eu não sei. Ou sei.


Decidi não saber. Para dificultar para você. Menino, você me teve. Agora quis entender. E você não quis explicar. Esqueceu a fala. Calou. Se cala, em casa, na minha, na sua. Com virgula, sem ponto, sem espaço, no conto. Na parede, o rosto, abstrato, apagado.


E adeus. Ou a Jesus.


Mas por favor: tchau.

4 comentários:

Pelo amor ou pela dor .. ! * disse...

Texto liiiindo! "Sumiu, mas tive". Essa parte, linda *

Parabéns, estou te acompanhando sempre..

Ju Fuzetto disse...

Emocionante!!
perfeito, um beijo flor!!
Boa semana!!

Gi disse...

Mas por favor: tchau... foi perfeito e me coube em uma situação qualquer ... amei!

Larissa disse...

Precisamos nos desvencilhar de algumas coisas, por mais que elas nos tenham feito bem, enquanto a tivemos. Profundo.

Um beijo.