terça-feira, maio 11, 2010

...Mas rapazes e moças assim não costumam deixar rastros, e ambos já tinham sumido em suas esquinas de ladeiras súbitas e calçadas maltratadas. Acima deles, nuvens cada vez mais densas escondem súbitas o anjo. O céu de chumbo, onde não seria surpresa se no próximo segundo explodisse um cogumelo atômico, caísse uma chuva radioativa ou desabasse uma rajada de napalm, parecia mesmo o céu de Saigon, quem sabe pensaram. Embora, de certa forma, eles nunca tivessem estado lá.

Caio Fernando Abreu

3 comentários:

Jose Sousa disse...

Oi... tudo bem? Estive aqui e gostei de seu blog, e muito do que escreve. Adorei, vou ser seu seguidor. Conheça os meus blog's e percorre tudo o que escrevo neles, tem bonitos poemas de minha autoria. São blog's realistas.
www.congulolundo.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com

Um grande abraço

Daniela Filipini disse...

Caio é sempre o melhor! Adorei!

camila souza. disse...

eu não sei qual e o melhor as roupas lindas da foto,ou o texto do Caio *-*