sexta-feira, janeiro 08, 2010

Falando de amor...

Eu gosto de escrever de amor.Talvez goste mais ainda de escrever de amores perdidos, de mal entendidos, de falta de amar.Gosto da falta de amor, e de quantas vezes um ser humano é capaz de morrer por ele, em uma só vida.Falar da falta de sorte dos amantes, e da grande esperança dos casais.Das besteiras que todos pensam, e que tentam continuamente transmitir que amam, ou simplesmente que se atrai por tal alguém.Das tardes que passei, avaliando novos amores, perdi tempo diferenciando.Vai ser sempre a rotina, sempre.Sua vida vai ser sempre rotina, você vai acordar todos os dias de manhã, que seja, mais vai acordar sempre mais ou menos no mesmo horário.Vai ter algo que seja monótono na sua vida, e vai ter seu amor, sua paixão, sua atração.Ou não vai ter ninguém, e vai se lamentar por isso.Se encontrar alguém, vai desejar que seja ‘eterno enquanto dure’.Mas se não encontrar, vai procurar como um cão farejador.Como um faminto por seu pão.Mas vai encontrar, vai sim, vai.Vai encontrar alguém, que lhe queira bem, antes que o sol se ponha.Vai ter noites pensando em alguém que não pensa em você, e vai se dar conta que do outro lado do seu pensamento, ele pensa em você a noite inteira;Tu nunca vai estar contente, jamais.Vai acordar de manhã, na sua rotina de gente grande, casada; com responsabilidades maiores do que somente trabalhar, como fazer um café da manhã, desejar bom dia (...).Vai se dar conta, que alguém que tu desejou dizer: sim, eu aceito.Esta ali do seu lado, acordando todos os dias contigo, dividindo seu edredom, e sua paciência.Pagando a conta de luz, e deixando a de água que é mais barata pra você.Quando o tal chega do serviço, você vai ter do que reclamar.Seja do sapato sujo que ele deixou em cima do seu tapete, ou seja, da falta de humor que ele trouxe juntamente com o trabalho acumulado, e essa noite não vai ter amor.E você também vai ter do que reclamar, quando ele te disser, que não gostou da nova disposição dos moveis.Você ainda sim, vai reclamar de amor.Vai dizer que ele não te ama mais.E vai falar que amor não é pra sempre.E eu vou estar aqui, escrevendo sobre amor, sobre encontros e desencontros.Fantasiando contos, daqueles que você sempre quis viver.E não vou mentir quando falar, que amor nada mais é do que elevações de humor, misturada com paixão, e algo que eu tento explicar...

7 comentários:

Bandys disse...

Oi Paula,

Fale sempre do amor.
Adorei seu texto.

O amor é uma flor que tem que ser colhida a beira de um precipício.

Mas vale a pena!

Beijos

Ps: As poesias são + intensas quando quem lê se identifica, rss.

camila souza. disse...

sao fotos de filmes?

ps:E MUITO AMOR MESMO rs
bom fim de semana (:

Daniela Filipini disse...

Eu acho que a maioria das pessoas prefere falar de desamores. A razão disto talvez seja o fato de que é muito difícil descrever a felicidade de um amor verdadeiro =)

Pâmella Ferrari disse...

Valew! Você nao tem mais orkut, ou voce me deletou dele? UAHUAH te procurei mais não encontrei, no msn então, sumiu. Fantasy? De quantos ML você quer? Vamos conversar disso certinho. Qualquer coisa te passo meu telfone. Ou então me manda um e-mail. pamella_ferrari@hotmail.com

FOTOGRAFIA NO SENAC? Ta boa de grana né? Porque lá além de ser caro, tem um gasto IMENSO! Mas, boa sorte, dizem que lá é muito bom.

debora prado disse...

Mas quanto amor meu Deus dhsiuhdiuhdiuasd,ó,vamo ter que dividir a música porque é minha tbm dbhasuhdiuhdiusa,beeeijo

ticoético disse...

Nossa,tô até com idéias,eu gosto de falar do amor,da questão de ser amado,gosto,mas de um jeito diferente,enfim,belo.
abraço !
ps:obrigado pela visita.

A Moni. disse...

Não tem receita, não adianta experiência.
Parece que é sempre novo, parecemos ser sempre bobos.

Desamores, dissabores, dão belas peças literárias, inspiram, é bem verdade.

Mas não incomoda um temporário bloqueio poético pra sentir o pulsar desritmado de um coração apaixonado, não é não???

Adorei o texto!

Beijos!