terça-feira, junho 22, 2010



Seus olhos mal podem ver. As mil maneiras que eu sou por você. Eu sei me inventar de verde, eu me visto de azul. Eu não faço graça, eu não sou farsa. Eu sou eu, e me apresento se quiser:

Sou somente o que posso ser. Te ofereço somente o que posso oferecer. Sou tão pouco, mas sou tão grande. Eu sei; você não pode ver. Sou do tamanho dos meus sonhos.

E você?
Você é do tamanho da minha vontade. Você sacia a minha necessidade. Você e uma fonte inspiradora. Sabedoria e paz.

E o caminho é bem extenso. Vou andando devagar para que não te falte amor. Cada dia é um dia. Cada dia escolho uma cor. Da saudade vejo o cinza.
Você nem pode imaginar. Pintei meu mundo de mil cores depois que você apareceu.
Meu sorriso não é mais amarelo.


Me desculpa a sinceridade, eu não sei onde ela te atinge. Tenho falado tanto por mim, que nem parei para te ouvir. Tua voz é tão muda. Mas me basta o sorriso, e já sei do que me diz.
Deve ser esse sorriso infantil. Essa inocência que ainda resta.Deve ser culpa daquela musica que você me fez ouvir que já sei cantar.
Deve ser culpa daquele evento que eu não pude te encontrar.


Assim, agradecerei a quem for.